Condromalácia patelar: O que é, riscos e como tratar

A maior parte das articulações do corpo humano é protegida e amortecida por um tipo específico de tecido, conhecido como cartilagem articular.

A cartilagem é um tecido liso que cobre os ossos das articulações, permitindo que eles deslizem facilmente uns contra os outros. Na condromalácia patelar, essa cartilagem sofre desgaste, o que pode causar dor e dificuldade de movimento.

Neste artigo, você entenderá mais sobre os riscos da condromalácia patelar, os principais sintomas e os melhores tratamentos. Leia mais!

 
cp

O que é a condromalácia patelar?

A condromalácia patelar, também conhecida como condromalácia da patela, é uma condição em que a cartilagem na superfície inferior da patela (rótula) se deteriora e amolece. Este problema é comum entre atletas e jovens, mas também pode afetar pacientes mais velhos que têm artrite no joelho.

Em determinadas situações, os ossos podem se tornar fragilizados devido a uma sequência de impactos, traumas repetidos ou devido ao desalinhamento do joelho. Esse enfraquecimento ósseo não só aumenta o risco de lesões, como também pode comprometer a estabilidade e a funcionalidade do joelho, levando a uma maior suscetibilidade a dores e a danos estruturais ao longo do tempo.

Quais os principais sintomas da condromalácia patelar?

Os sintomas da condromalácia patelar podem ser semelhantes ao de outras condições do joelho, incluindo:

  • Dor na frente do joelho, especialmente ao subir ou descer escadas, ajoelhar-se ou sentar-se com os joelhos dobrados por períodos prolongados;
  • Sensação de atrito ou estalo ao estender ou dobrar o joelho;
  • Inchaço ocasional ao redor da patela;
  • Som de rangido quando move o joelho.

O que causa a condromalácia?

A causa exata da condromalácia patelar nem sempre é clara, mas pode ser devido a uma combinação de fatores, como:

  • Desalinhamento da patela;
  • Fraqueza muscular ao redor do joelho;
  • Sobrecarga por atividades físicas intensas;
  • Desequilíbrio muscular entre os músculos adutores e abdutores;
  • Lesões ou traumas anteriores na rótula do joelho.

Quais os fatores de risco para a condromalácia patelar?

  • Idade – Como citado anteriormente, pacientes mais jovens e ativos, como atletas, têm mais chances de desenvolver a condição;
  • Sexo – As mulheres têm maior incidência de casos de condromalácia patelar por terem menos massa muscular do que homens;
  • Histórico de lesões anteriores;
  • Vida esportiva intensa;
  • Artrite.

Como obter um diagnóstico adequado da condromalácia?

Para fazer um diagnóstico assertivo, o ortopedista especialista em joelho geralmente segue um processo que combina avaliação clínica com exames de imagem. Veja o passo a passo:

  • História clínica e avaliação dos sintomas: O médico começará perguntando sobre os sintomas, como dor no joelho, estalos ou sensação de atrito ao movimentar a articulação, quando eles começaram e em que momentos ocorrem (por exemplo, ao subir escadas, correr ou após ficar sentado por longos períodos). Também perguntará sobre atividades físicas, lesões anteriores e histórico de problemas no joelho;
  • Exame físico: Durante o exame físico, o médico pode pressionar diferentes áreas ao redor do joelho para verificar a dor e o inchaço. Movimentos específicos, como dobrar ou estender o joelho, também podem ser feitos para avaliar a amplitude de movimento, a força muscular e a estabilidade da articulação;
  • Ressonância Magnética (RM): É o exame mais eficaz para visualizar a cartilagem e pode ajudar a determinar a extensão do dano à cartilagem. No caso da condromalácia, este exame é essencial para o melhor diagnóstico, isso porque a RM pode mostrar detalhes das estruturas moles, incluindo a cartilagem articular, ligamentos e tendões;
  • Radiografia (Raio-X): Embora a condromalácia em si não possa ser vista em radiografias, elas podem ser usadas para descartar outras causas associadas, como fraturas ou osteoartrite;
  • Ultrassonografia: Menos comum, pode ser usada para avaliar a condição dos tecidos moles ao redor do joelho, incluindo a cartilagem.

É importante ressaltar que a condromalácia é classificada em graus, do I ao IV, com base na severidade do dano à cartilagem. Sendo assim, para que um ortopedista especialista consiga tratar sua condição da melhor maneira, é preciso que ele consiga determinar o grau inicialmente.

Tratamentos para a condromalácia patelar

O tratamento para a condromalácia patelar é indicado para reduzir a dor e a inflamação, melhorar a função do joelho e prevenir futuros danos à cartilagem. As abordagens de tratamento podem variar dependendo da gravidade dos sintomas e da causa subjacente. Alguns dos tratamentos conservadores são:

  • Fisioterapia: Exercícios específicos podem ajudar a fortalecer os músculos ao redor do joelho, especialmente o quadríceps, para melhorar o alinhamento da patela e a distribuição da carga na articulação;
Imagem2
  • Medicação: Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), como ibuprofeno ou naproxeno, podem ser recomendados para aliviar a dor e a inflamação;
  • Aplicação de Gelo: Usar gelo no joelho por 15-20 minutos várias vezes ao dia pode ajudar a reduzir a dor e o inchaço.

Quem é um candidato para a cirurgia de condromalácia patelar?

O cirurgião de joelho avaliará a possibilidade de indicação cirúrgica para pacientes que não respondem ao tratamento conservador, como fisioterapia, uso de medicamentos anti-inflamatórios e modificação das atividades diárias. Os candidatos ideais para a cirurgia são aqueles que apresentam:

  • Dor significativa e persistente na região do joelho;
  • Dano articular comprovado - Cartilagem da patela afetada identificada através de uma ressonância magnética, com um grau avançado de condromalácia;
  • Falta de resposta a outras terapias, como fisioterapia e uso de órteses;
  • Estabilidade do joelho - É importante que o joelho seja estável e que outros problemas mecânicos ou estruturais tenham sido tratados.

Caso você sofra de condromalácia patelar e não apresenta uma resposta satisfatória ao tratamento clínico, não deixe de buscar um ortopedista especialista em cirurgia de joelho o mais rápido possível!

Quais as técnicas utilizadas na cirurgia da condromalácia patelar?

A artroscopia é a técnica mais indicada para o tratamento cirúrgico da condromalácia patelar. A cirurgia é feita de maneira minimamente invasiva e permite ao cirurgião examinar o interior da articulação do joelho com uma câmera pequena e realizar tratamentos específicos.

Durante a artroscopia, o cirurgião pode remover fragmentos soltos de cartilagem, realizar procedimentos de lavagem para limpar a articulação e alisar a cartilagem danificada.

Outros procedimentos como realinhamento patelar, microfraturas ou realização de um enxerto de cartilagem também são opções para o tratamento da condromalácia patelar.

Existem riscos nesses procedimentos?

Embora a cirurgia possa ser eficaz para aliviar a dor e melhorar a função do joelho, como qualquer procedimento cirúrgico, ela carrega certos riscos. Dessa forma, nesse tipo de procedimento, é possível apresentar alguns riscos, sendo eles:

  • Infecção;
  • Sangramento;
  • Rigidez articular;
  • Possíveis coágulos de sangue;
  • Problemas de cicatrização.

Como é a recuperação do pós-operatório?

Após a cirurgia, é comum que os pacientes passem por um período de reabilitação que inclui repouso, uso de muletas ou joelheiras, e fisioterapia. É importante que o paciente se comprometa com cada etapa, especialmente com a fisioterapia, que garantirá a ele a capacidade de recuperar a força muscular, a flexibilidade e a função do joelho.

 

Sendo assim, o paciente precisa ficar atento às orientações pós-operatórias fornecidas pelo médico especialista. Isso inclui aderir às recomendações sobre medicação, atividade física, alimentação, e cuidados com a área operada.

É importante ressaltar que não somente os cuidados pós-operatórios são indispensáveis, mas também os cuidados pré-operatórios. Neste artigo, você consegue saber detalhadamente sobre como se preparar antes de uma cirurgia de joelho.

Depois da cirurgia, a condromalácia pode voltar?

Depende. Em alguns casos, a condromalácia patelar pode voltar mesmo após a cirurgia. A recorrência da condição pode depender de vários fatores, incluindo a extensão da lesão original, a eficácia do procedimento cirúrgico realizado, e quão bem o paciente segue as recomendações pós-operatórias, como a fisioterapia.

Além disso, é importante manter as consultas de acompanhamento para garantir uma recuperação adequada e monitorar o progresso da cura. Adotar essas medidas pode acelerar o processo de recuperação, minimizar o risco de infecções ou complicações, e assegurar os melhores resultados possíveis do procedimento.

.        .         .

A condromalácia patelar é uma condição que afeta a cartilagem articular da patela, levando a dor e limitações de movimento que podem impactar significativamente a qualidade de vida e que requer um tratamento adequado.

Se você está enfrentando sintomas de condromalácia patelar ou qualquer outra dor no joelho, não deixe de consultar um especialista para obter um diagnóstico preciso e o melhor tratamento. 

Sou o Dr. Diego Moelas, especialista no tratamento de condições no joelho, incluindo cirurgias. Atendo em diversos hospitais de São Paulo (Hospital Sírio Libanês, Hospital Nove de Julho, Hospital Samaritano, Hospital Oswaldo Cruz, entre outros) e estou à disposição para te ajudar!