Quais as causas do inchaço no joelho?

O inchaço no joelho pode ou não estar associado a dores e outros sintomas. Mais conhecida como “derrame articular” ou “água no joelho”, a condição pode indicar a presença de outras doenças no joelho e precisa de atenção.

Continue lendo este artigo e saiba o que pode ser o inchaço no joelho, suas causas e como é possível tratar este sintoma.

Quais são as causas do inchaço no joelho?

O inchaço do joelho ocorre quando há um acúmulo de líquido dentro ou ao redor da articulação, condição esta também conhecida como “derrame articular” ou “água no joelho”.

Entre as causas do joelho inchado estão traumas resultantes de quedas ou impactos, lesões causadas pelo uso excessivo da região (como em atividades que envolvam o carregamento de peso ou esportes) ou a presença de alguma doença que acometa o joelho.

Quais doenças e lesões podem estar associadas a um quadro de inchaço no joelho?

Um histórico de lesão recente no joelho pode resultar em um derrame articular, resultado de uma ruptura ligamentar – especialmente do ligamento cruzado anterior (LCA) - ou meniscal, além de ossos quebrados.

No entanto, quando se trata de água no joelho sem estar associada a algum trauma na região, a suspeita principal é de infecção ou doenças sistêmicas, como:

  • Artrite séptica: Também conhecida como uma infecção na articulação, a doença causa pus nos tecidos das articulações e é perigosa para as articulações;
  • Osteoartrite;
  • Gota;
  • Bursite;
  • Artrite Reumatoide;
  • Tumores no joelho;
  • Doença de Lyme (afeta mais crianças e jovens).

Os esportes podem causar inchaço no joelho?

Sim, vários esportes podem levar a inchaço no joelho por conta do estresse repetitivo ou movimentos bruscos que afetam a articulação.

Os esportes com um maior histórico de lesões ou doenças com o inchaço articular como sintoma são:

  • Corrida de longa distância: O impacto repetitivo durante a corrida pode resultar em lesões nos joelhos, resultando em síndrome da banda iliotibial ou condromalácia patelar;
  • Futebol: Estiramentos e distensões são comuns neste esporte, assim como lesões mais graves nos ligamentos do joelho, como o ligamento cruzado anterior (LCA);
  • Basquete: Esse esporte pode causar estresse significativo nos joelhos devido aos saltos e arremessos, o que aumenta o risco de lesões como entorses de ligamentos;
  • Tênis: Os impactos no joelho durante as corridas podem contribuir para lesões na região, como a tendinite patelar
 
 

O inchaço do joelho pode se apresentar com outros sintomas?

Sim!

Comumente o inchaço do joelho é um sintoma que se apresenta de forma conjunta com outros sinais. Os principais sintomas associados são:

  • Rigidez da perna: Devido ao inchaço provocado pelo excesso de líquido, o paciente acometido pode ter dificuldade para dobrar ou esticar a perna facilmente;
  • Dores no joelho: Um dos sintomas mais presentes junto ao inchaço é a dor no joelho afetado, especialmente quando a causa está relacionada à alguma doença nas articulações.
  • Vermelhidão ou quentura da pele: Estes sinais surgem principalmente quando a causa é uma infecção;
  • Falta de sustentação: O paciente não consegue apoiar-se facilmente no joelho para andar, por exemplo;
  • Febre: Pacientes com infecção como causa da água no joelho podem apresentar quadros de febre;
  • Perda de sensibilidade: A perda de sensibilidade no joelho ou na região próxima também pode estar associada ao derrame articular.

Estou com o joelho inchado, devo buscar um ortopedista especialista em joelho?

É aconselhável que o paciente busque um médico especialista em joelho quando notar sinais como vermelhidão e quentura no joelho, já que são os principais pontos que apontam para uma infecção na articulação. No entanto, para casos sem estes sinais, é possível fazer tratamentos alternativos, como uso de compressas de gelo e repouso. Caso não haja melhora, o paciente deverá buscar um ortopedista o quanto antes

Diagnóstico de água de joelho

O diagnóstico do derrame articular é feito através de algumas etapas, que incluem:

História Clínica: O paciente deve informar detalhadamente sobre o inchaço no joelho, quando surgiu, se existem sintomas associados, se possui histórico de lesões ou traumas recentes e se já passou por uma cirurgia na região do joelho.
Exame físico: Para determinar a causa do inchaço no joelho e diagnosticar o derrame articular o médico fará uma avaliação física no paciente a fim de perceber a amplitude dos movimentos, a sensibilidade, alterações na marcha e até mesmo a pele.
Exames de imagem: Os exames de imagem podem ser solicitados para ajudar a identificar condições associadas, como artrite, além de detectar lesões nos ligamentos e fraturas. Os principais testes que podem ser solicitados são:

  • Raio-X;
  • Ressonância Magnética.
Artrocentese: Também conhecido como aspiração articular, este exame consiste na remoção do líquido sinovial com o auxílio de uma seringa para ajudar no diagnóstico de derrames. A partir do fluido, é possível identificar a presença de sangue, bactérias ou cristais de ácido úrico nas articulações e definir qual a causa da água no joelho.
 

Tratamento conservador para o inchaço no joelho

A depender do nível de inchaço e causas, é possível que o paciente possa realizar somente um tratamento conservador para o derrame articular, que pode incluir:

  • Repouso: Para que o joelho possa se recuperar, é essencial que o paciente descanse, ou seja, se afaste das atividades físicas e esportivas que forçam a região até a melhora do sintoma;
  • Medicações: Algumas medicações podem ser prescritas por um especialista em joelho, como analgésicos para o controle da dor e anti-inflamatórios para alívio dos sintomas relacionados à inflamação da articulação;
  • Compressa de Gelo: As compressas de gelo são eficazes para o controle do inchaço e da inflamação;
  • Fisioterapia: Sessões de terapia podem ser úteis para que o paciente recupere a mobilidade e a força do joelho e da musculatura ao redor.

Cirurgia para inchaço no joelho

Quando o inchaço no joelho está relacionado a outras causas, como doenças ou inflamações, pode ser necessário outros tratamentos, inclusive cirúrgicos.

A artrocentese, além de ser um procedimento para diagnóstico, também pode ser usada para o alívio da pressão articular por meio da remoção de fluido, assim como para a inflamação pela infiltração de corticosteroide.

Em caso inchaço causado devido à osteoartrose, é possível que o paciente precise passar por uma artroscopia, técnica cirúrgica minimamente invasiva para o reparo dos danos.

Somente um ortopedista especialista em joelho poderá definir qual o melhor tratamento para a água no joelho. Portanto, é importante que o paciente com mais de um dos sinais busque o mais rápido possível.

Saiba como prevenir o derrame articular

Como o joelho inchado é resultado de lesões ou condições de saúde associadas, existem alguns cuidados que o paciente pode ter para prevenir o derrame articular. Algumas medidas que podem ser tomadas incluem:

  • Manter uma alimentação adequada – O sobrepeso pode contribuir para o desenvolvimento de doenças resultantes do desgaste das articulações, que também causam a água no joelho. Sendo assim, é aconselhável manter uma alimentação balanceada para evitar a sobrecarga das articulações do joelho.
  • Tenha uma rotina de exercícios físicos – Os exercícios físicos são positivos não somente para fortalecer os músculos ao redor das articulações, aliviando a pressão sobre elas, mas também para se manter dentro do peso ideal. Mesmo assim, é indicado que sejam realizadas atividades que não tenham alto impacto nas articulações.
  • Para esportistas, é importante usar o equipamento de proteção adequado ao realizar atividades que possam causar lesões nas articulações.

Se você está apresentando um inchaço no joelho, busque um ortopedista especialista em cirurgia de joelho. Sou o Dr. Diego Moelas, especialista em Cirurgia de Joelho e Artroscopia. Atendo em diversos hospitais de São Paulo (Hospital Sírio Libanês, Hospital Nove de Julho, Hospital Samaritano, Hospital Oswaldo Cruz, entre outros) e estou a sua disposição!

Ficou alguma dúvida?

Entre em contato e agende a sua consulta:

(11) 97489-5500