ARTROSE NOS JOELHOS

O QUE É ARTROSE OU OSTEOARTRITE?

A artrose ou osteoartrite é um processo degenerativo da articulação em que ocorrem lesões da cartilagem e do osso que sustenta a cartilagem assim como desgaste das demais estruturas intra-articulares. Pode ocorrer em qualquer articulação do corpo sendo mais comum nos joelhos, quadril, mãos e coluna.

 

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?

Os principais sintomas da artrose do joelho são dor na articulação, crepitações, inchaço, rigidez articular e restrição de mobilidade, deformidade progressiva no joelho.

A dor inicialmente pode ser relacionada a esforços mais intensos e piora ao final do dia. Com a progressão da artrose, os sintomas podem piorar e tornar-se comum com atividades do dia a dia ou após longos períodos em repouso.

 

O QUE CAUSA A ARTROSE?

A artrose pode ser subdividida em 2 grupos: primária e secundária.

A primária não apresenta uma causa definida para a degeneração da cartilagem, pode ocorrer em mais de uma articulação.

Já a secundária, apresenta alguma causa para a ocorrência da artrose.

Exemplos:

  • Fatores genéticos;
  • Traumas ou lesões prévias no joelho;
    • Lesões de ligamento;
    • Lesões de menisco;
    • Fraturas;
    • Lesões de cartilagem.
  • Sobrecarga da articulação (tipo de atividade, excesso de peso);
  • Obesidade – levam à sobrecarga das articulações de carga como quadril, joelho, tornozelo, coluna;
  • Alterações de alinhamento do joelho (joelho varo ou valgo);
  • Doenças inflamatórias (gota, artrite reumatóide etc).

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?

O diagnóstico é feito através da história clínica do paciente com os sintomas relatados (dor, inchaço, deformidade, rigidez articular...) associado ao exame físico detalhado realizado por um ortopedista avaliando o local da dor, deformidades ou outras alterações que justifiquem o quadro clínico.

Além disso, exames de imagem são fundamentais não apenas para confirmar o diagnóstico da osteoartrose como para avaliar a gravidade e definir o melhor tratamento.

As radiografias permitem avaliar alterações ósseas, perda de espaço da articulação e alinhamento do joelho (varo, valgo ou neutro). A ressonância magnética pode ser útil nas fases iniciais da artrose para avaliar lesões focais na cartilagem, lesões nos meniscos e ligamentos.

 

A ARTROSE TEM CURA? EXISTE TRATAMENTO PARA REGENERAR A CARTILAGEM?

A artrose do joelho não tem cura, pois se trata de um processo degenerativo da articulação, com desgaste irreversível da cartilagem.

Existem tratamentos para a regeneração da cartilagem, porém restritos para lesões focais (localizadas) da cartilagem.

O tratamento visa melhora da dor, da mobilidade, da função do membro e da qualidade de vida com controle da progressão da artrose.

COMO É O TRATAMENTO NÃO CIRÚRGICO?

O tratamento não cirúrgico da artrose deve ser realizado de maneira multidisciplinar e multimodal e sempre é o primeiro a ser recomendado. As medidas incluem:

  • Controle de comorbidades pré-existentes (Diabetes, Hipotireoidismo, Doenças Reumatológicas);
  • Controle de peso;
  • Adequar atividades do dia a dia, evitando sobrecarga da articulação;
  • Reabilitação (fisioterapia + condicionamento físico).

Inclui exercícios de amplitude de movimento, de alongamento e fortalecimento.

BENEFÍCIOS: manutenção das funções físicas, redução do edema, estimulação dos reflexos de flexão e extensão, maior estabilidade para a articulação e, consequentemente, menos dor.

* Exercícios aeróbicos de baixo impacto, ciclismo e natação contribuem para o aumento do condicionamento aeróbico com melhora não apenas da saúde global dos pacientes, como também dos sintomas artríticos.

** Atividades de carga de alto impacto devem ser evitadas tais como corrida e exercícios com saltos.

 
  • Uso de bandagens e órteses;
  • Medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios;
  • Medicamentos condroprotetores (glicosamina, condroiditina, colágeno não hidrolisado tipo 2) – apresentam resultados discutíveis;
  • Medicamentos injetáveis dentro da articulação (infiltração ou viscossuplementação);
  • Bloqueio de nervos geniculares ou neuromodulação.
 

O tratamento deve ser individualizado para cada paciente de acordo com os sintomas, grau de artrose e estilo de vida sendo de fundamental importância a manutenção de um bom controle de peso e do programa de exercícios de mobilidade e de fortalecimento muscular.

O QUE FAZER NAS CRISES DE DOR?

Pessoas com artrose do joelho podem apresentar piora súbita dos sintomas com aumento da dor e do inchaço. Nas crises de dor, é de extrema importância o alívio dos sintomas mais agudos e intensos para permitir a continuidade do tratamento com o programa de exercícios e perda de peso.

As crises de dor podem ser espontâneas, porém, geralmente, apresentam fatores desencadeantes como:

  • Sobrecarga mecânica por aumento dos esforços ou aumento do peso;
  • Interrupção dos exercícios de fortalecimento muscular levando à inativação/diminuição da força;
  • Traumas (contusões ou entorses) – podem levar a fraturas, novas lesões meniscais ou osteocondrais.

Deve-se restringir carga parcial ou total com auxílio de bengala e muletas. Alguns casos podem necessitar a utilização de imobilizações/órteses para restringir a mobilidade.

Medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, infiltração do joelho e bloqueio/neuromodulação dos nervos geniculares são algumas das opções para alívio dos sintomas.

Nesses casos, é importante procurar por um médico especialista para uma avaliação detalhada e correto diagnóstico para a realização de um tratamento mais efetivo evitando o agravamento dos sintomas e da lesão.

QUANDO É INDICADA A CIRURGIA? COMO É O TRATAMENTO CIRÚRGICO?

A cirurgia é indicada nos casos em que o paciente apresenta manutenção ou piora dos sintomas da artrose apesar da realização do tratamento não cirúrgico adequadamente e com impacto negativo para a qualidade de vida e manutenção das atividades do dia a dia.

Existem 3 opções de tratamento cirúrgico mais comuns:

  • Artroscopia: é o procedimento mais simples e menos agressivo em que a cirurgia é feita através de pequenas incisões (0,5 a 1cm) no joelho. Deve ser utilizada para alívio de sintomas mecânicos como com corpo livre sintomático e artrose com lesão meniscal sintomática.
  • Osteotomias: são cirurgias utilizadas em situações que a artrose afeta apenas 1 compartimento e para corrigir desalinhamentos. O objetivo é modificar o alinhamento do joelho transferindo a carga do compartimento com artrose para um compartimento mais saudável melhorando a dor e desacelerando a progressão da artrose no compartimento comprometido.
 
  • Prótese ou artroplastia: consiste na substituição da superfície da articulação podendo ser parcial ou total (vide imagem abaixo). A articulação é substituída por componentes de metal e polietileno para reestabelecer a função do joelho e proporcionar melhora da dor.
 

Dr. Diego Moelas Sotini
Especialista em Cirurgia de Joelho e Artroscopia.
CRM-SP: 171506 | RQE: 93748

Ficou alguma dúvida?

Entre em contato e agende a sua consulta:

(11) 97489-5500